terça-feira, 20 de maio de 2008

Filha de Raúl Castro promove parada gay cubana

Com bastante improviso, shows de transformistas e palestras foi realizada a parada gay cubana no último sábado (17/05) em Havana, com autorização oficial e imprensa livre para cobrir o evento. O evento do Dia Mundial contra a Homofobia foi liderado por Mariela Castro Espín, filha do atual presidente da ilha, Raúl Castro.

Mariela, 46 anos, é a diretora do Centro Nacional de Educação Sexual (CENESEX), há anos ela e seu grupo tem batalhado pela questão da diversidade sexual na ilha, além de ser ativista ela também é educadora sexual com nove livros publicados.

Sob o slogan "Diversidade é a regra", foi exibido em horário nobre o premiado "O segredo de Brokeback Mountain", além da exibição do filme foi também anunciado um cineclube mensal com produções cuja temática será gay. Sob a regra da diversidade os cubanos tentam esquecer o passado homofóbico com histórias de gays expulsos e torturados.

E as coisas estão mudadas mesmo na ilha. Para se ter uma idéia, o presidente do Parlamento, Ricardo Alarcón, de 76 anos, discursou durante o evento de sábado e disse ser necessário erradicar a homofobia, que este é um ato solidário e faz parte do socialismo.

Para os grupos cubanos que lutam em prol da diversidade sexual a presença de Alarcón é importante, pois um dos projetos capitaneados por Mariela e que tramita na assembléia, é fazer com que os homossexuais tenham o direito de união civil. Em seu discurso o parlamentar afirmou que eles estudam o projeto.

De maneira inusitada e pra lá de revolucionária foram às transformistas que encerraram a parada cubana com um show no teatro Astral, espaço histórico da revolução cubana. Atrás delas a bandeira de Cuba fazia o cenário.

Um comentário:

Pablo Sainz Fuentes disse...

Comemoram em Brasília Dia da Rebeldia Nacional em Cuba

O 55 aniversário do assalto aos quartéis Moncada e Carlos Manuel de Céspedes foi comemorado em Brasília com um encontro organizado pela Associação Nacional de Cubanos Residentes no Brasil “José Martí” – ANCREB, entidades de solidariedade a Cuba e o Núcleo de Estudos Cubanos da Universidade de Brasília.

No evento, realizado no sábado 26 de julho no acolhedor Café da Rua 8, no centro da cidade, participaram aproximadamente 300 pessoas. Presidido pelo Embaixador de Cuba no Brasil Pedro Núñez Mosquera, contou também com a presencia de funcionários da Embaixada cubana, assim como representantes da Embaixada da Venezuela. Assistiram, ainda, dezenas de cubanos residentes em Brasília, e amigos de vários países latino-americanos.

As palavras de agradecimento foram proferidas por Tirso Sáenz, presidente do Capítulo de Brasília da ANCREB, enquanto o embaixador Núñez Mosquera destacou a importância histórica da data e o seu significado no processo revolucionário do povo cubano, ao longo de todos estes anos, na qual o 26 de julho de 1953 constituiu o início de uma nova etapa da Revolução.

As palavras do Embaixador foram seguidas pela leitura emocionada do poma “Já estamos em combate”, de Raúl Gómez García, realizada pelo compositor brasiliense Décio Coutinho, que também interpretou várias canções da sua autoria.

A continuação se apresentou um grupo musical formado especialmente para a comemoração, com três vozes, guitarra e percussão, integrado pelo chileno Rodrigo Hernández e os brasileiros Jorge Macarrão e Márcio Bomfim. Interpretaram um amplo repertório de músicas latino-americanas, várias delas cantadas em coro pelos presentes. A atuação concluiu de forma especial, com um público eufórico dançando ao som da Guantanamera.

A noite se transformou em uma manifestação de apoio a Cuba e sua Revolução, na que compartiram juntos, mais uma vez, cubanos residentes no Brasil e amigos latino-americanos. E estiveram presentes também, nas imagens projetadas no telão, nas fotos e cartazes que conformavam a decoração e no coração de quase todos os que ali se encontravam, os 5 Heróis cubanos presos em cárceres norte-americanos.

Foi uma comemoração digna da histórica ação revolucionária do Moncada, um emocionante e acolhedor evento de solidariedade a Cuba. Predominou a simpatia e a contagiante alegria que tanto identifica aos nossos povos, e compartiram todos como irmãos, entre bandeiras, discursos, poemas, aplausos, abraços, músicas, comidas e bebidas típicas.

E quando já bem entrada a noite se levantaram as vozes dando vivas ao 26 de julho, os ali presentes aplaudiram juntos, e brindaram todos, felizes, pelo 55 aniversário do glorioso assalto ao quartel Moncada. Somos os latino-americanos povos realmente irmãos, ninguém duvide, e que a nossa história comum de lutas e de vitórias nos proteja a todos e nos mantenha para sempre unidos e solidários.


Pablo Saínz Fuentes
Associação Nacional de Cubanos Residentes no Brasil “José Martí”
www.guantanamera.com.br